O que é Lucro Real?

November 27, 2018

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos com prioridade

Contabilidade Fiscal

Se você já ouviu que alguma empresa participa do chamado Lucro Real e não faz ideia do que isso significa ou está abrindo um novo negócio e quer saber mais sobre enquadramento de impostos, essa é a hora.

Descubra agora o que é Lucro Real e como funciona em uma empresa.

Vamos lá?

O que é Lucro Real?

O Lucro Real é um tipo de regime tributário baseado no faturamento da empresa, com a possibilidade de ser apurado de forma trimestral ou uma vez ao ano.

Caso opte pela apuração anual deve ser feita em 31/12, enquanto que a apuração trimestral ocorre nas datas de 31/03, 30/06, 30/09 e 31/12.

Dessa forma, o Lucro Real é uma representação do lucro líquido da empresa, após passar por compensações, adições e ajustes de contas.

Isso significa dizer que o Lucro Real é o montante que será pago de acordo com os lucros que foram gerados.  

Portanto, não existe nenhuma chance de o pagamento ser realizado a maior ou menor que o devido, visto que se baseia nos demonstrativos de lucros da empresa.

Além disso, esse planejamento ou regime tributário não pode ser alterado durante o ano ou trimestre.

A escolha por um regime tributário acontece como uma tentativa de reduzir os impactos dos impostos que devem ser pagos de forma legal.

A ideia é escolher o regime que preze pela saúde financeira do seu negócio e ofereça benefícios referentes às normas e regras.

Pensando nisso, você precisa saber que o Lucro Real envolve dois impostos: o Imposto de Renda de Pessoa Jurídica e a Contribuição Social sobre Lucro Líquido.

O Imposto de Renda de Pessoa Jurídica também é chamado de IRPJ e é de 15% quando o lucro é de até R$ 20.000,00 mensais e 25% quando ultrapassar os R$ 20.000,00 mensais, enquanto a Contribuição Social sobre Lucro Líquido é de 9%.

Quando você opta pelo regime do Lucro Real, você assume a obrigatoriedade de ter uma escrituração comercial e fiscal em dia, que podem ser complexas e necessitar da ajuda de um contador.

Essas escrituras permitem a melhor organização do seu negócio para que a apuração seja feita corretamente no período determinado.

Entre os documentos exigidos estão:

– Inventários;

– Demonstrativos de Resultados (DRE);

– Livro de Apuração do Lucro Real;

– Relatórios de Lançamentos de Caixa e outros.  

Empresas do Lucro Real

Para que a sua empresa possa atuar com o regime tributário do Lucro Real, é preciso seguir algumas normas.

Existem alguns tipos de negócio que são obrigados a atuar com esse imposto, como por exemplo:

– Bancos Comerciais;

– Corretoras de títulos, câmbios e valores imobiliários;

– Cooperativas de crédito;

– Bancos de Investimentos;

– Sociedades de financiamento, crédito e investimento;

– Entidades de previdência privada aberta;

– Distribuidoras de títulos;

– Empresas de seguros privados e capitalização;

– Empresas com rendimentos, lucros ou ganhos do exterior.

Dentre essas empresas, aquelas que tenham renda geradas pelo exterior podem conseguir a isenção de alguns benefícios fiscais.

A principal regra para manter o regime do Lucro Real é o total controle sobre a empresa e as contas da mesma, que devem estar sempre em dia.

Para comprovar esse controle, as empresas precisam apresentar os vários registros de contabilidade e documentos fiscais para a Receita Federal.

Uma informação importante para quem adota esse tipo de regime tributário, é que o Lucro Real pode ser uma chance de empresas que tenham margens pequenas de lucros ou mesmo altos custos para operação consigam reduzir a quantidade e o valor de impostos, enquanto garantem que a sua empresa está atuando dentro da lei.

Isso acontece porque toda a base de impostos da empresa é feita de acordo com o lucro que ela obtém, evitando altos custos de cobrança quando o rendimento for reduzido.

Para você entender um pouco melhor essa questão, será apresentado como funciona os impostos principais nesse regime.

– IRPJ e CSLL

Conforme já citado, a alíquota é de 15% para o IRPJ com a possibilidade de um adicional de 10% no IRPJ quando o lucro da empresa superar os R$ 20 mil mensais e de 9% para o CSLL.

O IRPJ é o Imposto de Renda de Pessoa Jurídica e é cobrado para empresas que tenham o cadastro jurídico.

Já o CSLL é a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido e é destinado para qualquer pessoa jurídica que esteja equiparada pela legislação do Imposto de Renda e que tenha  a condição financeira de apoiar a Seguridade Social.

Nesse caso, se trata de um tributo federal brasileiro que varia de acordo com o lucro líquido de uma empresa de acordo com um período usado como base.

– COFINS e PIS

Nesse tipo de regime, esses dois impostos não tem caráter cumulativo e as alíquotas tem uma variação de 1,6% a 7,6% com a possibilidade de reduzir alguns valores de acordo com a quantidade de despesas do seu negócio.

Caso você não saiba, o COFINS se refere a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social, sendo uma contribuição nas áreas da Previdência Social, Saúde Pública e Assistência Social.

Já o PIS significa Programa de Integração Social e é uma contribuição que tem o objetivo de financiar o pagamento de abonos, participação na receita e seguro-desemprego.

Conclusão

Agora que você já sabe o que é o Lucro Real e tem acesso as principais informações referentes a esse regime tributário, pode começar a pensar qual é a melhor estratégia para a sua empresa no que se refere a esquema de impostos.

Vale ressaltar que antes de qualquer decisão, é preciso realizar uma série de pesquisas e contas para garantir que você está sim escolhendo o melhor regime tributário para fazer parte da sua empresa.

Artigos Relacionados

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Artigos relacionados


Como emitir uma nota fiscal sem possuir uma empresa aberta?

Dentre as várias atividades profissionais exercidas no Brasil, uma delas é trabalhar como profissional autônomo e liberal. Contudo, muitas atividades remuneradas requisitam notas fiscais para que o serviço seja pago. Se você não tiver uma empre..


O que é e para que serve o arquivo XML da Nota Fiscal?

Antigamente, o processo de emissão de Notas Fiscais era realizado através da utilização de blocos de papel. As Notas Fiscais eram emitidas de forma manual, o que causava constante retrabalho em casos de rasuras, desperdício de grandes volumes de..


O que é DANFE e qual a sua utilidade?

Como já é de conhecimento geral, a Nota Fiscal é um documento de suma importância para comprovação de movimentações de produtos ou prestação de serviços e para acompanhamento de Órgãos Públicos. No entanto, junto à Nota Fiscal, há out..

Tags

Facebook Page