fbpx

Contabilidade

Borderô de contas: Veja o que é e como emitir

Redação FoxManager
Escrito por Redação FoxManager em 25/10/2019
Borderô de contas: Veja o que é e como emitir

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Quem lida com a rotina de pagamentos e recebimentos em empresas do setor financeiro certamente precisa conhecer sobre o borderô.

Para toda lista com registro de operações bancárias e comerciais, sobre agrupamento de títulos com todos os dados a pagar ou receber, dá-se o nome de borderô.

O termo tem origem na palavra francesa ‘bordereau’ que foi se abrasileirando na maneira de falar e escrever ainda na década de 1980 quando as empresas do ramo de Factoring se consolidaram no país.

Precisa emitir borderô grátis? ERP online é a solução

Uso de borderô no Factoring

Empresas de Factoring, ou de fomento, se popularizaram no Brasil por promover obtenção de ‘direitos creditórios de contas a receber’ a prazo em troca de um valor pago à vista. Para tal operação, a organização em borderô mostrou-se fundamental.

Tipos de borderô

Isto quer dizer que para o banco é vantajoso receber de maneira organizada todos os dados de informação. Imagine olhar para um boleto e ter em uma fileira todo o seu movimento bancário. Isto é fruto de uma complexa operação que envolveu muitos cálculos e pessoas.

Portanto usar o borderô apresenta vantagens como a otimização de tempo pois organiza os títulos conforme seu objetivo. A grosso modo, pode-se dividi-lo em duas categorias: de cobrança e de pagamento.

De cobrança

Cheques pré-datados ou duplicatas são exemplos de borderô de cobrança. Tornam-se títulos negociados entre empresas de factoring e bancos. Além das condições da operação, nesse tipo são relacionadas as informações de valores cobrados por cada cheque ou duplicata.

De pagamento

Por exemplo, para criar um borderô de pagamento, reúne-se em um único documento diversos títulos, tais como: compras a prazo, despesas, adiantamento de clientes, captação de recursos e conhecimento de frete. Após o agrupamento dos mesmos, é emitido aos bancos contendo instruções de como proceder com o pagamento.

Envio do borderô

Logo após a tipificação correta de cada tipo de borderô, é hora de enviar ao banco ou empresas responsáveis por seu processamento.

Contudo, não custa lembrar que esta fase do processo operacional está sujeita a cobrança de impostos e custeio bancário correlato.

Enquanto isso, o envio em si pode ser feito de duas maneiras: impressão do borderô ou geração em arquivo digital com todos os dados na extensão txt, em consonância com o Cnab, Centro Nacional de Automação Bancária.

Auxílio na utilização do documento

Não obstante, gerenciar e criar borderô pode mostrar-se uma tarefa inglória. Embora reúna em um único documento diversos títulos, basta um erro em um deles para comprometer toda a operação que o envolve.

Por exemplo, imagine que um erro tolo como um zero a mais em uma cifra pode gerar um problema complexo com o banco após o processamento do borderô pelo mesmo. Logo, é preciso uma revisão minuciosa de todos os títulos contidos no documento.

Portanto, para evitar este e outros erros, certifique-se de utilizar auxílio no gerenciamento do mesmo. Certamente muitos softwares do sistema ERP disponibilizam gratuitamente e online o serviço de controle desta funcionalidade. Inclusive com instruções de passo a passo para montar um.

Criar um borderô

Dentre as diversas funcionalidades de softwares do sistema ERP, uma das mais valiosas é a de simplificar a criação de um borderô, com a tabulação correta e descomplicada de todos os dados de pessoas, pagamentos e recebimentos.

Resumindo, estes softwares ajudam em uma projeção de fluxo de caixa após o pagamento. Por exemplo, qual será a previsão do meu fluxo de caixa para investimento após ter parte de meu capital comprometido para o pagamento de obrigações, taxas, multas ou juros.

Ei! Comente.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade