Empreendedorismo

Negócios em alta e tendências para 2021

Negócios em alta e tendências para 2021

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

O cenário atípico de 2020 revolucionou muitos negócios, com a reinvenção para ultrapassar os obstáculos e adversidades ao longo do ano. Nesse sentido, os negócios em alta para 2021 são fruto das experiências vividas no ano anterior, com transformações bastante otimistas para os empreendedores.

Buscando acompanhar o ritmo dos mercados, os negócios precisam ser constantemente inovadores, para se manterem preferíveis entre os consumidores. Em 2021, poderemos ver os primeiros sinais de pós pandemia. Com o advento da imunização na maioria dos países, e essa é uma ótima oportunidade para empreender.

Nesse sentido, independente do ramo, é necessário planejamento. Os horizontes ainda são muito incertos, mas inovar é a chave para impulsionar a recuperação econômica esse ano.

Com o intuito de auxiliar você que pensa em investir em 2021, apresentamos os negócios em alta e tendências para esse ano.

Acompanhe a leitura!

Negócios mais lucrativos na pandemia

A pandemia do novo coronavírus é um desafio para o mundo, trazendo novos hábitos de consumo e convívio social. Contudo, mesmo em meio à crise econômica, alguns setores lucraram bastante nesse período devido a quarentena.

Produtos e serviços que antes não eram tão consumidos, se tornaram essenciais para a população. Entretanto, houve quedas nas vendas de outros itens. Dessa forma, assim como a população, os negócios precisaram se reinventar para enfrentar a nova realidade se manterem ativos no mercado.

Para sobreviver, muitas foram as adequações das empresas para que os produtos pudessem chegar aos clientes. Foram alteradas as formas de atendimento e entrega, com o aumento das vendas online. Adaptações para que os atendimentos presenciais cumprissem as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), entre outras ações.

A seguir, listamos os segmentos que puderam se beneficiar com o momento de crise.

E-commerce

Com as medidas de distanciamento e restrições, o e-Commerce foi um dos segmentos que mais se beneficiou durante a pandemia. Logo na primeira quinzena de março de 2020, segundo a Statista, o comércio eletrônico aumentou em 40% em comparação com o mesmo período em 2019.

Negócios em alta: e-Commerce se destacou, com aumento de 40%.
Negócios em alta: e-Commerce se destacou, com aumento de 40%.

Nas lojas virtuais, o consumidor tem a vantagem de realizar as compras no conforto de casa. Dessa forma, possuir maior praticidade e menor possibilidade de contágio. Nesse sentido, com o e-Commerce, os clientes acessam os produtos através da internet e recebem os produtos em casa.

Inclusive, muitas lojas físicas que oferecem produtos essenciais passaram por essa transformação para se adaptar às novas preferências dos clientes. Dessa forma, farmácias, supermercados, lojas de vestuários e acessórios se reinventaram por meio das ferramentas digitais.

Quer saber como iniciar as vendas online do comércio eletrônico? Clique aqui e leia o nosso artigo.

Setor farmacêutico

Com as preocupações voltadas para a saúde, o setor farmacêutico não poderia deixar de crescer nesse período. De acordo com Interfarma, nem mesmo a instabilidade econômica que o país vivencia tem impedido o impulsionamento desse mercado.

As expectativas para o setor são altas. A tendência é de que o Brasil assuma a quinta posição mundial da indústria farmacêutica em breve. Mercado que é liderado, atualmente, pelos Estados Unidos.

De acordo com a Statista, a venda de produtos relacionados à saúde cresceu 120% em 2020. Os principais canais em que os consumidores entraram em contato foram através de compras via aplicativos, sites e telefone.

Delivery

O delivery é um dos negócios em alta atualmente no mercado. Mesmo as empresas que não utilizavam esse meio, passaram a usar, para continuar o atendimento durante a pandemia. Majoritariamente, redes de fast-food utilizavam esse recurso. Contudo, a nova realidade forçou que outros setores, como restaurantes, papelarias, pequenas lojas, higiene e beleza.

Empresas de vários setores passaram a utilizar delivery durante a pandemia.
Empresas de vários setores passaram a utilizar delivery durante a pandemia.

O aumento na demanda por delivery impulsiona inclusive, o cadastro de entregadores. Levantamento da startup Eu Entrego, determina um crescimento de 84,1% no Brasil entre fevereiro e setembro.

Clique aqui e descubra qual é o aplicativo de delivery ideal para o seu negócio.

Supermercados

Com os novos hábitos impostos pela pandemia, como home office, escolas e universidades funcionando a distância, a procura por itens de comida caseira aumentaram. Assim como a higiene do lar, visto a alteração na quantidade de horas que a população passou a se manter em casa. 

Nesse sentido, supermercados e mercearias são negócios em alta nesse período, devido a procura por esses produtos. Além disso, o empreendedor pode oferecer os itens em delivery, para ampliar a gama de consumidores.

Exercícios em casa

Academias, espaços de dança, ioga, pilates e ginástica foram bastante prejudicados em 2020 com as medidas restritivas. Assim, a solução encontrada por profissionais que oferecem esses serviços, foi o acompanhamento online.

Acompanhamento online é alternativa para professores de dança, ioga, pilates, ginástica, etc..
Acompanhamento online é alternativa para professores de dança, ioga, pilates, ginástica, etc..

As aulas online vêm conquistando os alunos, com treinos ao vivo e personalizados. O marketing ganhou força nessa área, com o intuito de captar a maior quantidade de alunos possível para essa modalidade.

Leia mais sobre o marketing digital clicando aqui.

Itens de Informática

O home office e ensino a distância também têm movimentado o comércio de itens de informática. A busca por notebooks, mouses, teclados bem como impressoras tem crescido nos últimos meses. 

Equipamentos de informática e para produção de vídeos tem sido amplamente procurados.
Equipamentos de informática e para produção de vídeos tem sido amplamente procurados.

Além disso, produtos relacionados a produção de vídeos, transmissão ao vivo e conteúdo para internet também tiveram maior procura. Os itens mais comprados são os tripés para celular, iluminadores como Ring Lights e microfones.

Serviços de casa e construção

O aplicativo GetNinjas, registrou aumento de 75% nas solicitações de serviços de casa e construção. Os dados levam em consideração o mesmo período (de abril a novembro de 2020) em 2019.

A crescente dos números foi decorrente ao home office. Passando mais tempo em casa, os ambientes domiciliares se transformaram em escritórios para trabalhar. Assim, profissionais de decoração, arquitetura, marceneiros e pedreiros foram bem requisitados nesse período.

Previsões de negócios para 2021

Os negócios que estiveram em alta em 2020 seguem em destaque para 2021, visto que mantêm-se o cenário de pandemia. Os novos hábitos de consumo pós-pandemia fortalecerão ainda mais setores como tecnologia, delivery e vida saudável. Nesse sentido, ao pensar em empreender, foque em oportunidades de negócios que girem em torno desses ramos.

Listamos a seguir algumas ideias de negócios lucrativos que seguem como tendência para 2021, confira:

E-commerce de informática

Como descrevemos anteriormente, o trabalho e o estudo remoto aqueceram o mercado da informática.  Segundo o relatório Webshoppers nº42, publicado pela Ebit | Nielsen, as lojas online que vendem produtos de informática tiveram um aumento de 50% no valor médio de compra dos clientes. Além disso, houve um crescimento de 101% no faturamento no segundo trimestre de 2020.

Ainda em 2021, a tendência é que o mercado siga cada vez mais aquecido. Principalmente para a venda de notebooks, peças, acessórios e montagem de computadores sob encomenda.

Clube de assinatura

Mesmo em meio ao cenário de pandemia, os clubes de assinatura estiveram em crescimento no ano passado. E a previsão para 2021 é de avanço. Até setembro de 2020, o mercado cresceu no Brasil cerca de 10%. De acordo com o levantamento da Betalabs, empresa especializada em tecnologia para gestão de comércio eletrônico.

O crescimento é evidente, quando se analisam os dados: em 2015, no Brasil havia apenas 300 empresas no setor. Hoje o número estimado é de quase 4 mil clubes. Em 2019, esses empreendimentos movimentaram mais de 1 bilhão de reais

Ainda, segundo os dados da pesquisa, durante a pandemia foram lançados 800 novos clubes e a estimativa é de que, por dia, 600 novos consumidores assinem os mais diversos tipos de pacotes.

Se a sua intenção é investir nos clubes, a seguir listamos os seguimentos que vai são assinados pelos consumidores:

  • Livros (27%)
  • Bebidas (18%)
  • Alimentos (17%)
  • Cuidados pessoais (12%)
  • Pet (11%)
  • Outros (15%).

São inúmeras as possibilidades, basta você encontrar um nicho no mercado pouco explorado para faturar captando clientes.

Produtos vegetarianos e veganos

De acordo com as pesquisas realizadas pelo Ibope sobre hábitos alimentares, em 2018, 14% da população brasileira se declara vegana (30 milhões de pessoas)

Além disso, 55% dos brasileiros afirmam que consumiriam mais produtos veganos se os ingredientes estivessem indicados na embalagem, enquanto 60% escolheriam a opção vegana se tivesse o mesmo preço do produto que costumam consumir.

O mercado de alimentos e produtos veganos/vegetarianos tem atraído cada vez mais brasileiros.
O mercado de alimentos e produtos veganos/vegetarianos tem atraído cada vez mais brasileiros.

O mercado vegano e vegetariano vem crescendo nos últimos anos e em 2021 é um ramo em que será tendência. O potencial de faturamento do segmento é tão notório, que grandes empresas de proteína animal como Seara, Sadia, Perdigão e redes de fast-food como McDonald ‘s e Burger King lançaram recentemente linhas vegetarianas e veganas recentemente.

As opções de investimento nos produtos veganos vão além dos alimentos. Dessa forma, os itens veganos vêm chamando a atenção das empresas fabricantes de cosméticos como linhas de maquiagem, cuidados para o cabelo e higiene.

Produtos artesanais

O uso consciente de artesanais pensando na sustentabilidade vai além da aquisição de decorações, as linhas de cosméticos naturais são tendência para 2021.

De acordo com os estudos realizados pela plataforma Teads, 62% dos brasileiros acreditam que os cosméticos deveriam ser formulados apenas com ingredientes naturais e orgânicos.

A nova onda de hábitos dos consumidores em busca de produtos menos agressivos, com menos aditivos que são prejudiciais à saúde chama a atenção dos consumidores.

Os produtos em tendência são sabonetes, shampoos e condicionadores com ativos naturais e sem a adição de elementos nocivos ou ingredientes sintéticos em sua composição.

Além disso, é possível, com um pequeno investimento inicial, dar início ao seu próprio negócio de produção de cosméticos naturais. Existem diversos cursos online que ensinam, além de produzir os itens, como vender, faturar e se organizar.

Mercado imobiliário

O setor imobiliário havia passado por 5 anos de crise recentemente, quando voltou a ascender em 2019, com o advento da pandemia, as taxas de juros atingiu uma baixa histórica, com o poder de compra do consumidor mais aquecido e a oferta de uma grande diversidade de oportunidades o mercado se manteve imponente frente a crise.

Setor imobiliário apresentou crescimento durante pandemia.
Setor imobiliário apresentou crescimento durante pandemia.

Segundo os dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), o crescimento no faturamento dos negócios imobiliários foi de 8,4% na venda de apartamentos.

 Segundo o presidente da CBIC, José Carlos Martins, a pandemia impulsionou o setor devido à crescente valorização do lar, da casa e da família.  Ainda de acordo com Martins, 2021 ainda será um ano em que o mercado se manterá aquecido.

Serviços de TI

Em reflexo aos novos hábitos provenientes da pandemia do coronavírus e consequentemente o aumento dos trabalhos remotos, o mercado de serviços foi impulsionado por investimentos em cloud e segurança e ultrapassou R$ 41 bilhões, de acordo com os estudos da consultoria IDC Brasil.

Para quem pretende investir na área e abrir negócios, de acordo com o analista da IDC Brasil, os serviços mais buscados devem ser o cloud Computing, Projetos e consultorias voltadas ao desenvolvimento focado no controle e previsibilidade de custos, assim como ferramental que permita o uso mais eficiente dos recursos disponíveis, próprios ou contratados SaaS.

Delivery de comida

Mesmo antes da pandemia, o delivery de comida já era visto como um segmento de sucesso, agora com as novas restrições e hábitos de consumo, o ramo tende a crescer em 2021.

Estima-se que de janeiro a junho de 2020 os principais aplicativos de entrega como Rappi, Ifood e UberEats registraram um crescimento de 103% em relação ao mesmo período no ano passado.

Entretanto, o delivery de comida não se restringe às grandes redes de fast-food. A tendência é que as micro e pequenas empresas que trabalham como marmitas e refeições embarquem no delivery em 2021, ou seja, mesmo aquelas que não trabalhavam com entrega vão entrar nesse mercado.

Você pode criar um novo nicho e ser um diferencial no mercado, a dica é produzir para públicos especiais, como pessoas com restrições alimentares, ou seja, veganos, idosos, entre outros. Além disso, a tendência é que cada vez mais, empresas que operam por delivery se tornem o novo normal.

Infoprodutos

Com a crescente demanda por ensino a distância, os produtos digitais, ou infoprodutos, como cursos e videoaulas online seguem em alta para 2021, além de várias outras opções voltadas para esse tipo de negócio.

Se sua ideia de investimento é iniciar no mercado de infoprodutos, é necessário estudo com relação ao seu nicho, recursos e estratégia. As opções para se inserir no mercado são as mais diversas. Nesse sentido, os vídeos podem ser voltados a cursos básicos, especializados. Os outros infoprodutos de sucesso são os e-books e podcasts

Para monetizar o conteúdo, as plataformas mais famosas são o Youtube, Hotmart e Monetizze. Nelas, é possível fazer a captação de clientes para o seu negócio. Além disso, pode-se fazer uso das redes sociais como mais uma forma de ganhar dinheiro, contatando clientes, vendendo produtos e produzindo conteúdo.

Você pode começar a empreender a partir de diversas opções listadas nesse artigo, o importante é pensar na inovação, sem no entanto, deixar de pensar na satisfação do público alvo. Dessa forma, seu ano de 2021 poderá ser um sucesso se gerido da forma correta!

Saiba como criar um programa de e-mail marketing de alta conversão clicando aqui.

Para a gestão eficiente do seu negócio, evitando possíveis falhas, o FoxManager oferece um sistema integrado de gerenciamento de empresas, desde o nível de estoque até as vendas. Para saber mais informações, acesse o nosso blog!

Ei! Comente.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade