fbpx

Finanças

Como calcular Custo de Mercadorias Vendidas

Redação FoxManager
Escrito por Redação FoxManager em 18/12/2020
Como calcular Custo de Mercadorias Vendidas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Abrir um negócio e verificar que os produtos estão sendo vendidos, com a frequência esperada, deixa qualquer empresário motivado. Afinal, a saída das mercadorias é fator fundamental para manter o negócio.

Contudo, além da saída constante, os produtos vendidos precisam apresentar lucratividade real, a fim de evitar prejuízos e alcançar um valor financeiro que faça valer todos os esforços empenhados no negócio.

Para saber exatamente se esses lucros estão sendo alcançados, existe o cálculo de Custo de Mercadorias Vendidas (CMV).

O CMV inclui todo o processo de aquisição da mercadoria, insumos e até o pós-venda. E o cálculo é extremamente importante, pois retira todos os enganos de grandes lucros, baseados apenas na quantidade de saída de produtos.

Você já conhece o CMV? Sabe como fazer o cálculo? Nesse artigo, vamos te mostrar o que é o CMV, como calcular e apresentar quais as vantagens de aplicá-lo para o crescimento sólido do seu negócio.

Leia os tópicos que preparamos:

  • O que é
  • Importância e vantagens de aplicar o cálculo 
  • Como fazer o cálculo
  • Diminuindo o CMV do negócio

O que é CMV?

O Custo de Mercadorias Vendidas (CMV) é definido como a soma dos custos para comprar, fabricar e armazenar as mercadorias, até que elas sejam vendidas.

O CMV funciona como um indicador valioso para o lucro bruto, levando em consideração o estoque, que faz parte do patrimônio da empresa.

Alguns gestores erram, pois não consideram que produtos parados no estoque são produtos de vendas que não foram realizadas, impactando diretamente no lucro. Não só pela falta da saída, mas também pelos custos com a logística para manter a mercadoria estocada.

Esses fatores podem aumentar o CMV e, por conta da concorrência, muitas empresas decidem em não repassar a diferença de custo para o consumidor, a fim de manter a competitividade e não tornar a aquisição do cliente cara. 

Mas, mesmo que essa seja uma decisão favorável, é importante entender o cálculo para mensurar o que pode ou não ser repassado no final. 

Importância e vantagens de aplicar o cálculo de CMV

O CMV desempenha um papel importante como indicador da qualidade da gestão financeira do negócio.

Um exemplo simples é quando um valor alto é usado para manter o estoque da empresa, pois isso reflete em um menor capital de giro. Além disso, esse valor gasto, com mercadorias paradas, poderia ser investido em algo mais lucrativo para a empresa.

Assim, fazer o cálculo de CMV proporciona melhor discernimento de lucro e ainda sinaliza os pontos para aperfeiçoar no estoque.

Entre as principais vantagens de aplicar o cálculo de CMV, listamos:

Conhecer o valor do lucro bruto: indica quais custos são elevados, mas também quais podem ser reduzidos;

Controlar o estoque: as mercadorias paradas por muito tempo podem virar promoções atrativas, isto é, controlando o valor de desconto que poderá ser aplicado;

Melhor entendimento sobre as compras e produção: isso garante planejamento;

Proporcionar maior organização do estoque.

Como fazer o cálculo

O cálculo possui fórmulas que irão depender do tipo de inventário do estoque utilizado. O inventário pode ser de dois tipos:

  • Periódico: em que é realizado em períodos determinados, conforme a necessidade da empresa. Esse é um método básico que depende da contagem de cada produto, sendo muito utilizado em pequenas e médias empresas.
  • Permanente: esse tipo de inventário é atualizado a todo momento, com o controle de entrada bem como saída das mercadorias através de um sistema. É uma forma otimizada que facilita o trabalho do gestor para o planejamento de novas compras e de estratégias promocionais.

Além dos tipos de inventário, o cálculo de CMV pode ser feito também levando em consideração unidades de medidas diferentes. Sendo elas por saldo monetário ou por mercadoria.

A primeira unidade de medida serve para avaliações financeiras, mas também para medir o estoque em valores. Já a por mercadoria, o balanço é feito pela quantidade de estoque, beneficiando o departamento de operações.

Variáveis para fazer o cálculo

EI = Estoque Inicial

C = Compras

EF = Estoque Final

CMV = Custo de Mercadoria Vendida

DV = Devolução de Venda

DC = Devolução de Compra

Cálculo no inventário periódico, por mercadoria: CMV = EI + C – EF 

Usando como exemplo uma compra de 50 itens novos, com um estoque de 100 produtos, além disso, um estoque final de 70, ficaria CMV = 100 + 50 – 70. Assim, o CMV = 80.

Cálculo no inventário periódico, por saldo monetário: CMV = EI + C – EF

Nesse caso, basta substituir pelos valores correspondentes de cada variável.

Cálculo no inventário permanente, por mercadoria: CMV = EI + C + DV – DC – EF 

Se colocarmos como exemplo um EI 100, C 50, DV 5, DC 7 e EF 80, teremos:

CMV = 100 + 50 + 5 – 7 – 80

CMV = 68

Cálculo no inventário permanente, por saldo monetário: CMV = EI + C + DV – DC – EF

Da mesma maneira, basta substituir pelos valores correspondentes a cada variável.

Com isso, deu para perceber que são cálculos simples. Entretanto, exigem a implantação de um sistema de controle de inventário.

Diminuindo o CMV do negócio

A diminuição do CMV é feita basicamente com o controle efetivo do estoque. Já que, quanto maior o tempo de um produto estocado, maior serão os gastos da empresa.

Por isso, é importante programar as compras com um calendário que ajude na gestão, checar produtos, a validade deles e mapear necessidades reais para novas compras.

Entendeu a importância do cálculo de CMV? O Blog FoxManager tem sempre um conteúdo para te ajudar a gerir seu negócio com mais qualidade. Portanto, acompanhe nossas postagens e até a próxima!

Ei! Comente.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade